Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arautos do Estendal

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Arautos do Estendal

20
Set12

Mulherio abundante – parte 1

pickwick

A minha vida profissional já não é o que era. Subitamente, vejo-me catapultado para uma situação em que trabalho semanalmente em cinco edifícios diferentes, distantes alguns quilómetros uns dos outros, sendo que há uma abundância relativa de mulheres. Relativa, porque, embora estando em maioria, são pouquinhas. Faz parte da desertificação do interior, portanto.

 

À segunda-feira, é com a Cricri, que já conhecia de anos anteriores. Nada a relatar, que, sendo casada, não é de se deitar fora.

 

À terça-feira, não conta, é dia de mangueira.

 

Quarta-feira, foi a Fáfá, casada, simpática, mas potencial candidata a uma lipoaspiração em larga escala. Só que, a Fáfá fez logo o favor de me ir apresentar a uma colega de trabalho que é loira, tem olhos azuis, é jeitosa, só deve ter uns 50 anos, e desmancha-se em cerimónias do alto daqueles tamancos finórios. Aproveitou logo para me ir mostrar o computador, na esperança de eu lhe meter aquilo a trabalhar, coisa que não consegui, dado ainda não ter capacidade para reparar placas gráficas só com o olhar. A Fáfá bem que disse o nome dela, mas, lá está, quando me apresentam alguém, é escusado dizerem-me o nome, que passa-me tudo ao lado. Pior ainda, se o cabelo for loiro, pois fere a vista e o cérebro empana por uns segundos. Na próxima semana, pode ser que haja oportunidade para descobrir o nome da jeitosa.

 

À quinta-feira, é com a Féfé. Outra casada, dizem que “é de gancho”, mas não tenho reclamações a fazer. E é agradável à vista, vá, tenho que reconhecer, o que é bom para estimular um ambiente de trabalho motivador de grande produtividade. Tal como a Fáfá, a Féfé também veio-me com uma conversa meio engasgada sobre o meu desempenho profissional, que dizem que eu coiso e tal e tal e tal... Não cheguei bem a perceber o “coiso e tal”, mas pareceu ligeiramente não negativo. A Fáfá ainda juntou um estranho “especial” quando tocou neste assunto. Vou ter que me chatear? Às tantas…

 

À sexta-feira, que por acaso é já amanhã, é com a… vá… com a Aldonza Lorenzo. Disse-me, quem sabe, meio em sussurro, que uiiii… essa é que… ufff… ufff… (só lhe faltou uivar). Até tenho medo! A moça, realmente, tem um porte tão imponente quanto elegante. Mas, também não era preciso exagerarem. Amanhã já tiro as dúvidas, caso consiga ficar a manhã toda ao pé dela e não tenha que sair à pressa para ir a casa mudar de roupa depois de me babar dois litros pela peitaça abaixo. pickwick