Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

Os guinchos da Lulu

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Quinta-feira, 5 de Abril de 2007
Os guinchos da Lulu

Foi ontem que recebi um daqueles e-mails fantásticos que nos transportam para outra dimensão, mas tudo em território nacional. Dizia assim:

“Santa Maria da Feira, 10 de Março de 2007 - Corta-mato Nacional do Desporto Escolar. Tendo esgotado a bateria da câmara de vídeo, não me foi possível filmar o espectacular momento em que Maria de Lurdes Rodrigues, subindo à zona do podium para entregar as medalhas dos Juvenis masculinos, após sucessivos assobios e apupos por parte dos alunos e professores presentes, gaguejando e tremendo-lhe a voz, agarra no micro e faz o brilhante discurso, que, aproximadamente cito: " U-uuuuuu-uuuuuu-uuuuu! Eu também faço e faço mais alto que vocês!"

(Esclarecimento breve: Maria de Lurdes Rodrigues, também conhecida por Lulu, Milu ou Sinistra, é, presentemente, uma das ministras do governo do camarada Sócrates, concretamente cabendo-lhe o pelouro da educação.)

Como não poderia deixar de ser, a obra cinematográfica acabou por ir parar ao sítio do costume: o Youtube! A não perder: http://www.youtube.com/watch?v=AnAMxj59BL0

Bom, eu nem sei o que dizer… Esta mulher, a quem não quero chamar gaja porque a tal me obriga a boa educação, ocupa uma posição na sociedade que a devia obrigar a reprimir alguns impulsos básicos dos animais, tais como ladrar, uivar, miar, ganir, zurrar, ou guinchar. Devia, mas não obrigou. Assim sendo, temos uma ministra portuguesa a responder aos apupos dos alunos com guinchos. Huuuu?! Oh mulher, há falta de espelhos em casa? Custa-me perceber pessoas como esta. Então e se um dos presentes se lembrasse de mandá-la para onde o sol não brilha e cheira mal? Ela responderia também com uma grande “carvalhada”? Ah e tal eu consigo dizer uma asneira ainda mais feia do que vocês! Nha nha nha nha! Mas isto é o quê? Como é possível que uma ministra se apresente em público a fazer a figura hilariante de uma feirante a vender lençóis de flanela e cobertores eléctricos depois de uma noitada na discoteca da cueca-preta?! O que é aquilo? Algum espectáculo de uma cantora pimba fora de prazo a solicitar frustrantemente a participação do público que foi ali para ver outra coisa qualquer?! E vergonha, não há? E saber estar em público, não sabe? E porque é que pega no microfone daquela maneira tão… tão… pimba? Só lhe faltou começar a saltitar o microfone de uma mão para a outra, qual Marco Paulo em versão feminina e ainda mais pimba! Peço desculpa. O Marco Paulo não é pimba. Bom, a gente pode não gostar do homem e das suas canções, mas há que dar a mão à palmatória e reconhecer que se trata de um bom profissional, um homem do espectáculo por natureza, e que leva a sério a sua profissão e a sua arte. Quando à Lulu, depois de ver esta figura, não consigo evitar julgá-la por uma tabela muito baixa, sem qualquer dignidade e sem qualquer profissionalismo. Os políticos são como são e a malta já sabe o que a casa gasta. Pondo de lado as questões de competência profissional, há os que sabem estar e os que não sabem estar. Há os que se comportam com menos dignidade que um carroceiro emborrachado e estatelado no chão do alpendre de uma tasca de aldeia, e há os que são quase irrepreensíveis nas suas posturas, não fossem as motivações obscuras que os movem. Esta senhora, como está provado, pertence à classe dos carroceiros emborrachados. Se um carroceiro com os copos subisse àquele palco e guinchasse “uuuuuuuu”, eu até compreendia, pronto, pouca formação, ambiente de trabalho à base de mulas e esterco, etc. Era uma figura triste, na mesma, mas era, de algum modo, desculpável. No caso presente, estamos a falar de uma senhora que é ministra, com licenciatura e doutoramento. Não se compreende. Aliás, compreende-se: estamos a descer mesmo muito abaixo! Para termos uma ministra que se comporta como um carroceiro, é porque estamos quase a bater no fundo do poço. Ao menos que fosse elegante ou loira ou menos feia ou usasse mini-saia, para não ser tudo tão negativo… Ok, pronto, mini-saia, não. pickwick

publicado por pickwick às 09:34
link | tocar à trombeta | toques de trombeta (1) | favorito