Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arautos do Estendal

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Arautos do Estendal

20
Mai04

Amália

riverfl0w

Há algum tempo, a dupla Markl & Ribeiro, da Best Rock FM, anunciava ter descoberto o enorme potencial do Serviço de Mensagens Escritas da PT. Diziam que aquele era em potência o serviço de chamadas eróticas dos pobres por um custo bastante mais reduzido, com bastante piada.
Podem ouvi-los aqui (5:29):

Pois bem. Porque os Arautos do Estendal nunca param quietos, e têm sempre um olho no estendal e outro nas pessoas que passam, conseguimos fazer melhor. Descobrimos a Amália! Decote ousado, lábios levemente pintados, olhos verde-penetrante que nos acompanham a cada segundo e um penteado que revela alguma vaidade. Pela descrição, podia bem tratar-se de uma lapdancer… Mas não. É apresentadora poliglota de Serviços Informativos. De palato nitidamente luso, embora de sotaque um pouco maquinal, ela é a verdadeira coqueluche da robótica falante.

Podia, num rasgo de lascividade, pô-la a ler uma qualquer rubrica sexual da Maria ou da Ana, mas seria injusto com aquele trejeito tão angelical. Nada melhor, portanto, que premiar todos os acidentais leitores deste blog com um excerto do nosso grande Camões:

Instruções:“As armas e os barões assinalados, Que da ocidental praia Lusitana, Por mares nunca dantes navegados, Passaram ainda além da Taprobana, Em perigos e guerras esforçados, Mais do que prometia a força humana, E entre gente remota edificaram Novo Reino, que tanto sublimaram. E também as memórias gloriosas Daqueles Reis, que foram dilatando A Fé, o Império, E as terras viciosas De África e de Ásia andaram devastando. E aqueles que por obras valerosas Se vão da lei da Morte libertando; Cantando espalharei por toda a parte, Se a tanto me ajudar o engenho e arte. Luiz Vaz de Camões”

  1. Abram esta página.
  2. Seleccionem a língua portuguesa, e a voz da Amália.
  3. Copiem o texto transcrito abaixo e colem na caixa "Enter text" 
  4. Primam “Say it!”
  5. Esperem alguns segundos.
  6. Deliciem-se!

Queria, antes de me despedir, apelar à vossa moralidade. Apesar de ser tentador, esforcem-se por não usar a Amália para fins mais libidinosos. O namorado dela pode ser grande. Tenho dito! riverfl0w