Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

A flash of lightning…

Second chance date

Um cheirinho à noite

Uma questão de espírito.....

Novas teorias dos incêndi...

No espírito da gazela

Combinação imperfeita

A mulher da minha vida

Os pernis desequilibrista...

A fuga

O estado da barriguinha

Banho de leggings

Deslumbramentos

A mulher de laranja

Mistérios do Corpo Femini...

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Quarta-feira, 19 de Maio de 2004
Em Regime de Comodato
Hoje, o meu patrão deixou abismado mais um dos seus súbditos. Neste caso uma súbdita. Uma senhora muito senhora do seu nariz, muito bem conservada para as quase certas cinquenta primaveras que já terá passado, e a qual tenho em mais alta consideração. Ainda conserva a sua beleza própria, é dotada de uma energia fabulosa e tresanda a cultura. E domina na quase perfeição a nossa língua materna. Quase! Hoje descobri que o nosso patrão a bate aos pontos. Fui apanhá-la às voltas com o dicionário de português-português, a tentar traduzir “regime de comodato” de português para português. Eu tentei logo fazer a tradução: regime em que fazemos o que achamos mais cómodo; regime do comodismo, do que dá menos trabalho; regime da cómoda, em que arrumamos as peúgas e as cuecas lavadas em gavetas; regime do como dás tu, em que tu dás mas eu quero saber como. Enfim, correu mal. O dicionário diz que é um empréstimo em que o favorecido pelo dito fica de devolver o seu a seu dono. Mais ou menos. Neste caso era um aspirador. Eu fiquei a olhar para a senhora. Que se chama Teresa e está muito bem conservada. E pensei: está aqui esta diva fora-de-prazo preocupada com uma nota do patrão a dizer que empresta um aspirador ao departamento dela mas que teria de o devolver um dia destes... coitada... foi para isto que trabalhou durante quase três décadas? Foi para isto que nasceu tão bonita e tão abonada de linhas? Ó meu Deus... que andas tu a fazer?... E porque é que deixas os patrões escreverem palavras de sete e quinhentos a mulheres destas? Fico cheio de pena de as ver assim: tão sorridentes, a consultarem dicionários. pickwick
tags no estendal: , , ,
publicado por riverfl0w às 01:07
link | tocar à trombeta | favorito
4 comentários:
De Hermione a 22 de Junho de 2004 às 11:10
É então caso para dizer: solta dois, três ou mais suspiros... ;-)
De pickwick a 20 de Maio de 2004 às 12:13
Grilinha, permite-me discordar quanto à omnipresença de "tantas Teresas" na nossa praça. Esta, garanto-te, não tem muitos clones. É algo raro, algo louvável, mui requintado, qual louça fina trazida em tempos idos por uma qualquer caravela desde além mar... Enfim, só me ocorre soltar um longo suspiro...
De riverfl0w a 20 de Maio de 2004 às 03:30
A expressão "regime do como dás tu, em que tu dás mas eu quero saber como" é rebuscadíssima! Parabéns, não se alguém chegaria a saber a etimologia fonética da expressão se não fosse a proclamação deste post. Mais um serviço público dos Arautos do Estendal.
De grilinha a 20 de Maio de 2004 às 03:19
Adorei o texto. Há tantas Teresas e tantos patrões desses espalhados por aí.

tocar à trombeta