Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arautos do Estendal

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Arautos do Estendal

31
Mai04

O rodopio do lacrau

riverfl0w
O lacrau é um bicho muito foleiro. Acho que é assim tipo escorpião, mas em versão ibérica, um pouco abichanado, nada daquelas cenas mortíferas do deserto africano que com uma picada consegue vaporizar vinte camelos. Se calhar não é e tenho uma ideia errada. Mas já cá vi um em Portugal e era mesmo como nos filmes, todo anormal com aquela vassoura a imitar um rabo, dependurada como uma madeixa de cabelo. E as tenazes... Ui! Medo!... Foi dessa vez que vi um, que memorizei aquele ar de desconfiança e prontidão para fuzilar o inimigo em jeito de retaliação. Assim como que a sentir-se ameaçado de todas as frentes, rectaguardas e alas laterais, rodopiando numa arrepiante elegância de movimentos. Ora para um lado, ora para o outro, vassoura armada e em posição. Um movimento dali e vira a vassoura, outro de acolá e vira para lá. A desconfiança, que também se lhe pode chamar “alerta” para não parecer tão mesquinho, leva o bicho a um estado de paranóia. Nem anda, nem desanda. Rodopia e rodopia. Anda cá tu que levas com a minha vassoura. O mundo pára. A vida pára. Não vá dar um passo em frente e ser apunhalado. Que paranóia. Não é vida. Eu não sou um lacrau, mas às vezes parece. Não se nota, mas eu sinto. Tal e qual. Bem, a elegância de movimentos não retrata bem a minha situação, por motivos de ordem morfológica, mas isso também é um pormenor secundário e irrelevante. O que interessa mesmo – embora não seja nada interessante – é o estado de paranóia. O que vale é que passa. A paranóia e a vassoura e o rodopio. E volta a andar-se para a frente, ou para os lados, ou para trás, mas anda-se. E baixa-se a guarda. E aprecia-se a paisagem. Sim, porque, afinal de contas, eis que se aproxima o verão, os tops, os shorts, e outra coisas que rimam com “s”. Para que há-de um gajo perder tempo e energias no rodopio da defesa? Que desperdício! Lacrau? Que mau gosto! Vamos mas é ser assim um animal mais social, sei lá... um coelho... ou um rato... esses é que sabem aproveitar o tempo, a socializar, confraternizar e outras coisas que rimam com “ar” e passam em canais da TV por cabo.... pickwick

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.