Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

A flash of lightning…

Second chance date

Um cheirinho à noite

Uma questão de espírito.....

Novas teorias dos incêndi...

No espírito da gazela

Combinação imperfeita

A mulher da minha vida

Os pernis desequilibrista...

A fuga

O estado da barriguinha

Banho de leggings

Deslumbramentos

A mulher de laranja

Mistérios do Corpo Femini...

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Quinta-feira, 8 de Julho de 2004
O teu tórax é uma tábua
Antes de começar a divagar, desejo deixar claro que tenho todo o respeito pelos seres humanos objecto desta dissertação. São tão humanos quanto os outros seres semelhantes, apenas variando nalguns detalhes geométricos do capítulo dos volumes. Pronto. Ok, então, vamos ao que interessa. Hoje, que é um dia bom para isso como outro qualquer, detive-me em movimento a pensar no que poderão sentir as mulheres cujo relevo no tórax é aproximadamente zero. Assim tipo o tampo de uma mesa. Obviamente não estão condenadas a serem tias solteiras para o resto da vida, afastadas que ficam dos mesmos prazeres da carne a que têm acesso as mulheres com relevos visíveis. Digo eu. Não sei. Se calhar até se divertem à brava como as outras. Os parceiros é que, enfim, poderão ter algumas razões de queixa. Assim como quem vai ao frigorífico buscar uma cervejinha e o frigorífico está completamente vazio – a mão tenta agarrar uma garrafa mas apenas agarra o vazio gélido. Mas como há gostos para tudo, deduzo que poderá haver quem tenha claramente preferências por tábuas. Talvez algum carpinteiro. Bem, eu queixar-me-ia, sem dúvida, e nada poderia ser igual. Impossível. E o dia de hoje foi bom para isto porque convivi o dia inteiro com duas colegas que… enfim… são assim mesmo. Senti como que um aperto só de pensar que o facto de não terem namorados, poderá ter a ver directamente com este pormenor físico. Pode ser pura invenção minha, mas ainda assim fiquei meio preocupado, meio pensativo. Não queria dizer “triste”, mas confesso que o sentimento andou perto. Não sei como é no mundo das mulheres. Será que elas olham umas para as outras e traduzem o resultado das comparações em atitudes umas para com as outras? Algum desprezo? Alguma superioridade? Dizem que elas são lixadas umas com as outras… não perdem uma oportunidade de mandarem uma facada na espinha. Será? Tenho pena, se assim for. Não têm culpa de nascerem só com... pickwick
tags no estendal: ,
publicado por riverfl0w às 01:14
link | tocar à trombeta | favorito
5 comentários:
De pickwick a 13 de Julho de 2004 às 10:30
Caro Couves: lamento que a profundidade deste post sobre as tábuas não tenha sido captada pela broca telecomandada pelos teus neurónios. Não que não seja um bom telecomando, mas enfim, é um lamento que aqui deixo. Aliás, o termo "mama" é em si depreciativo para algo tão belo como o objecto do post, fazendo lembrar os prontos comentários de quem faz do balde de massa o seu dia-a-dia. Não que seja o teu caso, estou certo que não, mas, mais uma vez, lamento que assim tenha sido a tua postura face a este post. Além do mais, e que fique claro, "penduradas" não é o termo mais indicado para descrever o que pretendes. Tenta antes "menos jovens" ou simplesmente "sem silicone", ok?
De Couves a 9 de Julho de 2004 às 00:24
Toda a razão!!!! As gajas querem-se é com uma boa mama, muito grande também não, que depois sem soutien ficam todas penduradas, mas uma mama mediana é bom. Mas pronto, se um gajo não tiver outra hipotese, venham de lá as "tábuas"!
De cris e sarinha a 8 de Julho de 2004 às 23:59
Oi, adoramos o blog! Parabéns! =P Já agora se gostares de P!nk ou de Celine Dion aparece no nosso blog http://fansincondicionais.blogs.sapo.pt se não, podes sempre ir ao nosso outro blog de assuntos gerais em http://xiquedion.blogs.sapo.pt Aparece, esperamos ver em breve lá um comentário teu, bjs! ***
De Stela a 8 de Julho de 2004 às 13:38
Espero que as "tábuas" não sejam o motivo de preocupação que te obriga a exercitar o pensamento diariaamente. ;o) Ainda sobre o tema em questão... desde pequena que sempre incutiram-me a ideia que se deve gostar da pessoa tal como ela é e não como gostaríamos que fosse... Pensei que a ideia que a meninas têm que ter grandes "mamas" e exelentes "rabos" e os meninos tivessem que ser "bem abastecidos sexualmente" e nao ter pelos no peito fossem ideias adolescentes que à medida que amadurecessemos se transformassem em utopias... :o) vou explorar melhor o teu blog mas gosto da primeira página. beijos
De T Boinas a 8 de Julho de 2004 às 04:10
realmente... não gosto muito de tábuas!
http://wordistramoco.blogs.sapo.pt

tocar à trombeta