Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arautos do Estendal

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Arautos do Estendal

10
Jul04

10 de Julho

riverfl0w

Hoje é um dia deveras importante para a Pátria lusitana. À primeira leitura, assim de relance, poderá parecer que a minha professora da Primária era disléxica e me ensinou que o Dia de Portugal se comemora a 10 de Julho e não a 10 de Junho. Mas não. O problema dela era com os ‘érres’ e não com palavras nasaladas. (À professora Dina, que entretanto emigrou para Inglaterra, uma grande beijoca na eventualidade de passar por aqui por engano).

Enfim, 10 de Julho é também um marco na História de Portugal porque foi nesse dia, nesse mesmo dia, que veio ao mundo aquele que mais tarde se tornou uma figura proeminente da sociedade portuguesa.

Este Homem nasceu no século XX, filho precisamente dos seus pais, sendo esta a primeira de muitas coincidências assombrosas que só podiam prenunciar um futuro grandioso. Aprendeu sozinho a andar, a falar e a fazer bolhas de saliva com a boca, revelando o espírito autodidacta que tão útil lhe seria mais tarde. Teve uma infância assaz feliz, rodeado de jovens flausinas que adoravam cofiar os seus pêlos do peito, razão pela qual grande parte da sua obra literária diz respeito ao sexo oposto.

Aluno aplicado e exemplar, concluiu o 9º ano de Escolaridade aos 19 anos com um “Excelente” a Língua Portuguesa, acompanhado de uma nota de recomendação para a Licenciatura de Técnicas Modernas de Pesca (especialização em Peixes Ósseos) da Universidade de Cambridge.

Os seus conhecimentos nesta área permitiram-lhe, entre outras façanhas, pescar o carapau que tinha engolido o anel de Rose, passageira do Titanic.

É por estas e outras razões, sobre as quais não me vou alongar, que hoje me apraz prestar homenagem a esse grande Homem de nome pickwick. Oxalá esse distinto cidadão continue a passear a sua inteligência, boa disposição, paciência, humildade e criatividade por muitos e longos anos.
PARABÉNS PICKWICK!

riverfl0w

3 comentários

Comentar post