Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arautos do Estendal

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Arautos do Estendal

29
Ago04

Quiche Lorraine

riverfl0w
A ouvir, na voz de João Vaz

O meu blog dava um programa de rádio - Rádio Comercial

 

É impressionante como temos preguiça de cozinhar quando estamos sozinhos. Impressionante. Refeições para mim são actos de confraternização, aquele momento que se conversa, saboreia a comida, tem-se contacto com as pessoas. Tenho gosto pela culinária, adoro cozinhar, tentar novas receitas, inventar outras. Mas aqui sozinho tenho tido preguiça até de molhar uns cereais em leite. Aliás, isso é tudo o que eu tenho comido ultimamente.

Estava agora mesmo embrenhado no congelador, há procura de qualquer coisa que pudesse aquecer e trincar num instante. Encontrei-a na segunda gaveta: Quiche Lorraine - Surgelée - Aux lardons fumés.
Que é como quem diz, no bacoquismo da tradução... Tarte de Lorena - Ultracongelada - Com toucinho fumado.
Mas assim, em francês, lembrou-me de imediato a Páscoa em Paris, há alguns anos atrás, onde me fascinava o modo como a minha tia pronunciava o nome do prato. Já eu não me saía melhor que um "Kixe Lorréne", bem aportuguesado. É em nome dessas memórias de Paris, e do enjoo dos cereais, que a minha Kixe Lorréne acabou de entrar no forno. Um prato de sonoridade apetitosa em contraposição ao ordinário Muesli. riverfl0w

2 comentários

Comentar post