Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arautos do Estendal

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Ela, do alto das suas esbeltas e intrigantes pernas, veio caminhando quintal abaixo até ao estendal, dependurando a toalha onde, minutos antes, tinha limpo as últimas gotas de água. O Arauto viu, porque o Arauto estava lá. E tocou a trombeta.

Arautos do Estendal

06
Abr12

Piropos em brasileiro

pickwick

As redes sociais têm destas coisas:


“vemmmmmmmmm
amor
vamos fazer amor
vc quer
vc deve ser lindo nu
quero ve vc nu
amor
amo vc
queria fazer amor com vc”

 

Um gajo está perfeitamente descansado, quando leva com uma mensagem destas pela proa. A autora tem quase cinquenta anos e pode ser que tenha sido uma rapariga engraçada, há uns trinta e cinco anos atrás, sei lá. Loira, ainda por cima.

 

Apesar da intensidade da mensagem, acho que a versão lusitana desta seria muito ordinária. Porque, a bem dizer, esta mensagem nem é ordinária. Não fala em coito, nem em coisas que se fazem na ou com a boca, nem em orifícios, nem em líquidos, nem em coisas que podem ser apertadas com as mãos ou os dentes. Antes, fala na beleza da nudez e na pureza do amor. É lindo, tenho que reconhecer. A versão lusitana seria, certamente, enriquecida com um mui rico vocabulário na onda “massa-para-assentar-tijolos”. As brasileiras parecem ter uma visão amorosa do próprio amor. Isto é, um amor que é mais do que simples amor: é um amor amoroso. Sei lá.

 

Não querendo generalizar, em geral as brasileiras aparentam ter uma auto-estima inabalável e do tamanho do universo. É um facto que sempre me impressionou. Ah e tal, “fogosa e linda de morrer” (credo! parece uma porca atropelada por um carrinho de rolamentos conduzido por um rinoceronte). Ah e tal, “deusa do amor” (só se for no meio dos chimpanzés!). Ah e tal, “rose original” (pudera! quem é que te quereria copiar?). Ah e tal, “loira e deliciosa” (para dar de almoço aos leões? também acho que sim…). Não as consigo perceber. Não vendem espelhos daquele lado do oceano? Lá para aquelas bandas não parece haver complexos do que quer que seja. São todas boazonas, irresistíveis, lindas e poderosas. Não há mulheres feias, mal feitas ou com aspecto de saco de batatas greladas. É um mundo! pickwick

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.