Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

A flash of lightning…

Second chance date

Um cheirinho à noite

Uma questão de espírito.....

Novas teorias dos incêndi...

No espírito da gazela

Combinação imperfeita

A mulher da minha vida

Os pernis desequilibrista...

A fuga

O estado da barriguinha

Banho de leggings

Deslumbramentos

A mulher de laranja

Mistérios do Corpo Femini...

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Quinta-feira, 22 de Maio de 2008
Reclamação amarela

 

É isso mesmo! Uma reclamação amarela! Porque daqui a sensivelmente um mês vai começar o verão! Mas não se nota nada! Está frio, está chuva, está o tempo encoberto, e, como consequência gravosa de tal contexto climatérico, o mulherio traja de forma pouco apetecível. Isto é, com roupagem em excesso. Que mal! Todos sabemos que o mundo funciona por ciclos de compensação, o frio compensa com o quente, a chuva com o sol, a mulher atascada de roupa com a mulher arejada. Este ciclo de compensação proporciona um equilíbrio psicológico temporal que é essencial ao bem-estar da sociedade. Pelo menos, a mim. Quando chega a Outubro, um gajo já está tão farto de ver biquinis, que até enjoa, pelo que o fim dos biquinis, naquela altura precisa do ano, é bem-vindo. Quem diz bikinis, diz calções minúsculos com as nádegas a saltar fora dos contornos do tecido, diz decotes até ao umbigo, diz… enfim!, não me quero martirizar mais a identificar as belezas da vida. Isto quer dizer que, com base no mesmo ciclo de compensação, quando chega a Março, um gajo já está tão farto de ver camisolas de gola alta, que até enjoa, pelo que o fim das camisolas, naquela altura precisa do ano, é sempre bem-vinda. Ora, acontece que, Março já lá vai, assim como Abril e, pelos vistos, assim como Maio. E elas continuam a usar camisolas de lã, camisolas de gola alta, casacos, calças, calças, eventualmente saias abaixo do joelho, mais camisolas, etc. Desequilíbrio psicológico, é no que dá. Se isto não mudar rapidamente, sinto que isto terá consequências pouco simpáticas. Já me sinto, de vez em quando, a rosnar baixinho pelos cantos, a olhar de lado para as minhas colegas e demais mulheres, com os olhos em sangue e um pouco de espuma no canto das beiças, reclamando por ainda andarem todas ensopadas em tantas roupas. Um dia destes, desequilibro-me de vez e estico as mãos a todas as roupas femininas e rasgo-as, arranco-as às donas e desato a uivar e a bater com o pé no chão! Isto começa a desesperar! Não tarda, é Agosto e ainda andam com camisolas de gola alta e embrulhadas em casacos. E depois? Depois, o povo português arrisca-se, seriamente, a ver aparecer um novo fenómeno de criminalidade, ímpar e imparável: o “clothesjacking”. Mulheres que circulam na via pública, atacadas por homens com ar desesperado e armados até aos dentes com tesouras de podar, que lhes subtraem violentamente todas as peças de roupa que pertencem a camadas superiores à das roupas interiores. Medo! Muito medo!... pickwick
tags no estendal: , ,
publicado por pickwick às 08:34
link | tocar à trombeta | favorito
|