Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

A flash of lightning…

Second chance date

Um cheirinho à noite

Uma questão de espírito.....

Novas teorias dos incêndi...

No espírito da gazela

Combinação imperfeita

A mulher da minha vida

Os pernis desequilibrista...

A fuga

O estado da barriguinha

Banho de leggings

Deslumbramentos

A mulher de laranja

Mistérios do Corpo Femini...

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Powered by Technorati

Sexta-feira, 14 de Julho de 2006
Poema de amor #2

Porque as fãs têm direito a resposta (mas só as bonitas, obviamente).

Grru Grru (nome de código)
, minha fã
(até o título rima, hã?)

E
stava eu ali no émésséne,
e por lá te vi onlaine;
vesti as minhas cuecas de neoprene
e pus no meu cão o açaime.

Abri aquela janelinha,
e logo me surpreendi.
Não é que a tua carinha
estava num quadrado ali --> ?

Fiquei assim fascinado
com tamanha beleza...
E pus a minha foto no prado
(aquela com cuecas tigresa).

Confessaste a tua paixão secreta,
até me escreveste um poema,
espetaste tão fundo a seta
que o meu coração tem um edema.

Teu fã agora sou eu,
não há mais que esconder...
eu não sei o que me deu
mas estou louco por te ver!

riverfl0w

tags no estendal: , , ,
publicado por riverfl0w às 03:46
link | tocar à trombeta | favorito
|
12 comentários:
De Borboletah a 25 de Julho de 2006 às 21:49
simplesmente fantástico o vosso blog... nao tenho palavras para o descrever.. São uma fonte de inspiração.. Obrigada por existirem e darem continuidade a um blog simplesmente indescritivel...
De Kika a 16 de Julho de 2006 às 16:42
xD

gosto deste blog ;)

afinal a radio comercial trouxe mais uma leitora :§

beiju*
De susana a 16 de Julho de 2006 às 12:39
Ah esquece, estávamos realmente a falar da mesma coisa. Mas continuo na minha.
De riverfl0w a 16 de Julho de 2006 às 03:03
Susana, eu estava a falar de engates pelo MSN e tu?
De Sandra a 16 de Julho de 2006 às 00:18
descortinaste bem, era as duas coisas. mas a tender para o positivo. nunca duvides dos teus instintos, com diz o eduardo sá: "guiem-se pelo vosso nariz" :)
De Susana a 15 de Julho de 2006 às 21:32
acho que não estamos a falar da mesma coisa
De riverfl0w a 15 de Julho de 2006 às 17:01
Confesso que, dado o meu cérebro de avestruz, não descortinei totalmente se o comentário era positivo ou negativo. Mas em todo o caso, se já leste piores isso é um óptimo sinal :D Volta sempre.
De riverfl0w a 15 de Julho de 2006 às 16:58
Susana, tanto que resulta que o nosso amor é profícuo em poesia, vês? Grru, Grru... muitos coraçõezinhos e ovos moles.
De Susana a 15 de Julho de 2006 às 13:50
Onde é que eu já ouvi essa das cuecas tigresa?
Adiante, vai por mim,

msn NAO, nao resulta.
De Sandra a 15 de Julho de 2006 às 03:35
não me levem a mal (excepto se fizerem muita questão), mas espero que ninguém esteja a pensar em despedir-se já dos actuais empregos diurnos (se é que têm a sorte de os ter) para abraçar a vida baseando-se apenas na vossa veia poética... os poetas também têm de comer e de sujeitar ao manhoso sistema capitalista. ;p

confesso, contudo, acreditem ou não, que já li piores.

tocar à trombeta