Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

A flash of lightning…

Second chance date

Um cheirinho à noite

Uma questão de espírito.....

Novas teorias dos incêndi...

No espírito da gazela

Combinação imperfeita

A mulher da minha vida

Os pernis desequilibrista...

A fuga

O estado da barriguinha

Banho de leggings

Deslumbramentos

A mulher de laranja

Mistérios do Corpo Femini...

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011
Insólito - Os bodes prostitutos

Consta, por aí, que o Director-Geral da Administração Interna (Paulo Machado) e o Director-Geral da Administração Eleitoral (Jorge Miguéis) pediram a demissão, na sequência de um pretenso escândalo que envolveu a impossibilidade – ou, pelo menos, uma grande trapalhada – de milhares de eleitores exercerem o seu direito de voto nas Presidenciais 2011.

 

Porque, ah e tal, da tromba de água.

 

Os dois pedem a demissão porque, ah e tal, fizeram asneira. Obviamente que ninguém, hierarquicamente acima destes, fez o arranjinho para que tivesse acontecido o que aconteceu. Obviamente.

 

Mas, entremos de pantufas no capítulo do insólito e da hipótese. Vamos lá!

 

Suponhamos que a trapalhada toda foi planeada superiormente. Suponhamos que foi uma jogada bem planeada, com efeitos previsíveis e de feição para o Governo Sócrates.

 

Suponhamos que este duplo pedido de demissão também fazia parte do plano, como que para limpar suspeitas a montante dos directores-gerais e arrumar o assunto com uma pintarola à campeão.

 

E por que raio haviam os dois de se deixar queimar desta maneira tão inglória?

 

Suponhamos que há um esquema de redistribuição de riqueza, favores e poleiros, dentro de uma comunidade grande (embora restrita), que permite que esta queimadela seja facilmente superada através de uns milhares de euros na conta bancária e de um percurso político-profissional jeitosinho.

 

Ou seja, suponhamos que os dois senhores directores-gerais se disponibilizaram para fazerem de bodes expiatórios desta trapalhada toda, a troco de uma quantia generosa de dinheiro, e de uns distintos poleiros numa qualquer administração – daquelas que parecem uma praga de coelhos, tal é a velocidade com que se reproduzem e enchem os campos.

 

Obviamente, as contas bancárias portuguesas são blindadas propositadamente, pelo que seria impossível verificar se isto é um “supúnhamos”, ou nem por isso.

 

Obviamente, os jornalistas portugueses estão estrategicamente impedidos de seguirem atentamente o percurso futuro destes dois senhores, pelo que um até pode vir a ser o manda-chuva da EDP e o outro da Águas de Portugal, que órgão de comunicação social algum dará conta disso.

 

Dentro destas suposições todas, é caso para dizer que estes dois senhores seriam bem apelidados de “bodes prostitutos”, isto é, que aceitam ser bodes expiatórios a troco de algo.

 

Ainda bem, para o nosso país, que isto são apenas suposições… pickwick

tags no estendal: ,
publicado por pickwick às 22:48
link | tocar à trombeta | favorito
|