Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
procurar na gaveta
 
roupa no estendal

A flash of lightning…

Second chance date

Um cheirinho à noite

Uma questão de espírito.....

Novas teorias dos incêndi...

No espírito da gazela

Combinação imperfeita

A mulher da minha vida

Os pernis desequilibrista...

A fuga

O estado da barriguinha

Banho de leggings

Deslumbramentos

A mulher de laranja

Mistérios do Corpo Femini...

roupa famosa

Teoria do Caos

O spiderman fez-me chorar...

Contadores de Anedotas

Quiche Lorraine

É na boa

Dez coisas que hoje me irritaram...

A Síndrome de Arlete

Generation Buraca

Feel like doin' it?

roupa na gaveta

Março 2014

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Fevereiro 2006

Novembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004


escreve-nos! já!

arautosdoestendal@gmail

3 dabliús
tags no estendal

todas as tags

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009
Quando elas estão esfomeadas
Outro dia, fui sair com uma amiga (outra vez?). Fomos almoçar fora. Já era tarde, mas os restaurantes não-convencionais são mais permissivos quanto à hora de entrada dos clientes. O convite, da minha parte, era para comer umas “francesinhas”.
 
No mesmo local onde, no ano passado, fui jantar “francesinhas” algumas vezes com um colega, depois do nosso cansativo treino de judo, sendo que ele tinha sempre alguma dificuldade em comer tudo.
 
Assim sendo, qual era a estratégia? Um gajo está com fome, apetece uma “francesinha”, convida uma amiga, as amigas comem pouco, e um gajo entra pelo restaurante dentro com aquele sorriso à malandro, como quem vai comer “francesinha” e meia porque a sua parceira só consegue comer metade.
 
Um gajo senta-se, todo lampeiro, pede duas “francesinhas”, prova as azeitonas, dá dois dedos de conversa com a amiga, vêm as “francesinhas” e a amiga quase que é a primeira a acabar. Não há condições! Nem um cantinho de pão, nem uma colherzinha-de-sobremesa de molho. Tudo! Não bastasse a frustração de quem fica sem meio doce, a amiga ainda insistiu em comermos sobremesa!
 
Há dias em que elas andam esfomeadas! Este foi um desses dias.
 
Ainda me lembro do tempo em que íamos de Aveiro treinar judo a Coimbra, acabando por jantar todos antes do regresso. Lembro-me mesmo, mesmo, mesmo muito bem, de como eu e o Zé nos sentávamos estrategicamente entre as gajas, já na certeza de nos lambuzarmos com os bifes e as batatas fritas que elas não conseguiam comer. Bons tempos, carago! pickwick
tags no estendal:
publicado por pickwick às 00:26
link | tocar à trombeta | favorito
|
1 comentário:
De Feiticeira a 27 de Setembro de 2009 às 13:04
Pois é... mudam-se os tempos, mudam-se as vontades!

tocar à trombeta